21 de mar de 2013

Vinte e um...

Vinte e um de março, hoje. Vinte e um de fevereiro, ontem. Vinte e um é o inverso de doze. Doze, meu número de sorte. Será vinte um meu número de azar? Não, não. É um número neutro, fruto das minhas ilusões, das minhas expectativas grandes demais. E agora eu só escrevo em primeira pessoa... E você nem se importa. Me joga no chão e me pisa todos os dias. Mesmo que seja nesse seu papel de sofredor. Não aguento mais suas dores, elas que originaram as minhas. Hoje seria um dia de festa, mas não é. O que fevereiro começou, março acabou. Foi tudo, menos verdadeiro.

Um comentário:

  1. Palavras expelidas por um coração cansado e dolorido... desamparado...

    Intenso...

    Beijo!

    ResponderExcluir

Já que gostou, comenta! É isso que me faz feliz. ;)