23 de set de 2012

Voltar

    "Porquê o amanhã não chega logo e vira hoje?" Eu fazia essa pergunta para a minha mãe todos os dias, quando tinha meus três anos. É impressionante como as crianças querem que o tempo voe, e eu era uma delas. E hoje, seria tão bom se o tempo voltasse, e fizesse com que eu retornasse para o meu primeiro dia de aula. Eu tinha cinco anos, e minha mãe me deixou dentro daquele lugar cheio de crianças, vários brinquedos, muitos balões e uma mulher sorridente que eu deveria chamar de tia. No primeiro dia de aula, minha mãe chorou, eu não. Mas a partir do segundo dia, quem chorou fui eu.
      O tempo poderia voltar no dia em que meu pai me trouxe uma gatinha, minha mãe disse que ela se chamaria Zilly. Eu até gostei do nome, só não gostei dos arranhões e mordidas da gata. Eu também tive um passarinho, o Zuzu, esse quem batizou fui eu. Eu "criei" formigas, borboletas e até uma lagartixa, só que elas tinham vontade própria e só apareciam uma única vez. Eu criei muitos animais imaginários, hoje, quase não lembro deles.
      Eu queria voltar para o dia em que eu ganhei meu primeiro livro. Infelizmente, não lembro que livro era. Só lembro do meu primeiro livro "grande", meu irmão me deu o "Ei! Tem alguém aí?". É uma pena que eu tenha perdido esse livro, queria que ele ainda estivesse comigo. Minha infância foi cercada de livros, e toda minha vida será assim.
      Eu queria voltar para aqueles dias longos e quentes, para os dias em que eu soltava pipa com os garotos da rua. Os dias em que eu brincava de escolinha com as minhas amigas, fazia bolinhas de sabão, pulava corda, apostava corrida e caía com os joelhos no chão. Seria tão bom se eu pudesse ter novamente um vaga-lume nas mãos...
      Mas todos nós sabemos que voltar no tempo não é possível. E a única saída que nos resta são algumas memórias.
"Esse texto faz parte da blogagem coletiva promovida no Depois dos Quinze".

7 comentários:

  1. Que sentimentos lindos... eu tambem sinto falta de quandoe u brincava com os meninos sem nem me preocupar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era muito bom, pena que passa rápido demais... :)

      Excluir
  2. Também tenho vários momentos da minha infância que gostaria de voltar, mais é realmente impossível!
    beijooos

    ResponderExcluir
  3. Esses dias tava vendo um especial de 18 anos de Castelo Rá-Tim-Bum e o Cao Hamburger, diretor da série falou da dificuldade que é pensar como criança, em como ela vai receber aquele produto.
    E eu fiquei tentando lembrar de como é pensar como criança. E percebi que eu já me esqueci. Eu não sei como eu pensava há 8, 10, 15 anos atrás. E isso me assustou muito. Essa passagem de tempo que a gente não sente, mas nos afasta cada vez mais da infância quer a gente queira, quer não.
    Assustador é a palavra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, assustador é a palavra. Eu fiquei um pouco frustrada quando estava escrevendo esse texto e percebi que lembrava de pouquíssimas coisas da minha infância.
      A infância passa por todos nós e quando a ficha cai já somos adolescentes cheios de saudade...
      P.S.: Castelo Rá-Tim-Bum já tem 18 anos! Nossa!

      Excluir
  4. :t awm super fofo,gostei do seu blog szz
    da uma passadinha no meu? cupcakezinhoos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Já que gostou, comenta! É isso que me faz feliz. ;)