14 de out de 2012

Alguém

      Ninguém sabe dos meus sofrimentos, sou uma "criança trocada". Minha alma é dividida em dois pedaços, talvez três; cada um com seus sentimentos. Eu não sinto com o coração, muito menos com o cérebro. Eu sinto com a minha alma repartida, minha alma barrenta. Alma que ninguém conhece. Digamos que o meu corpo seja uma mera coincidência. Um corpo ferido, com ossos quebrados. Qualquer um me julgaria igual.
      Seria bom ter alguém que me conhecesse por completo. Alguém que me fizesse esquecer de todas as minhas teorias, de todas as minhas palavras. Alguém que me prendesse da forma mais livre possível. Alguém que entendesse meus olhares, a velocidade da minha respiração, os meus momentos de isolamento e as minhas lágrimas infantis. Alguém que soubesse que eu sou uma menina triste, que identificasse os meus sorrisos falsos e meus olhares cabisbaixos. Alguém que me desse um dicionário, não quinze reais de créditos e uma frase feita que não faz sentido algum. Alguém que me abraçasse como se fosse um melhor amigo. Alguém que me ligasse só pra dizer que são quase quatro da manhã e está faltando energia.
      Esse "alguém" existe? - É claro que não.

2 comentários:

Já que gostou, comenta! É isso que me faz feliz. ;)