14 de fev de 2014

Esquina do eu

O calor pesa nos meus ombros
Cantarolo por falta de palavras minhas
Caminho por falta de outro destino
Não preciso de rimas

Talvez eu fantasie parte desse peso
E isso tudo seja uma leveza disfarçada
Ou uma eterna falta de nexo
Não preciso dessa sina

Pontos de luz
Tantos reflexos partem do mesmo ponto
Fragmentos do eu
Pontos distantes, desfocados
Não preciso de rotina

Medo de fitar meus olhos
Desabar no segundo que eu me enxergar
Fecho-os, suspiro
Permaneço no caos
Não tem fim
Eu permaneço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já que gostou, comenta! É isso que me faz feliz. ;)